quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Curiosidades III

A Lei Murphy
Estamos presos num engarrafamento de carros e para desânimo, percebemos que as outras faixas parecem estar andando, menos a nossa. Mudamos de faixa, mas assim que passamos para outra faixa, os carros param. Com o carro parado, notamos que os carros das outras faixas (incluindo a que acabamos de abandonar) estão andando – menos a nossa.
Isto é o irritante mundo da Lei de Murphy. Esta expressão diz que tudo que pode dar errado vai dar errado. E pode ser isso mesmo. Não é devido a algum poder misterioso que a lei tenha. Na verdade, somos nós que damos importância à Lei de Murphy. Quando tudo dá certo, nem pensamos nisso. Afinal, esperamos que as coisas funcionem a nosso favor. Mas quando algo dá errado, procuramos razões

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Publicidade V

Depois de várias tentativas para conseguir levar o seu cafézinho para casa, só resta uma saida a George Clooney...
Deixar esta vida terrena e juntar-se a John Malkovich, só assim conseguirá desfrutar de seu nespresso.

Dúvida: Será que é por causa do nespresso? que se diz "Deus não dorme"

Publicidade á letra IV

Sabe qual é o segredo do Take Away do pingo doce?
Será da qualidade dos legumes, da selecção das carnes, do peixe sempre fresco, etc. etc....
Não, o segredo está no frio! depois de cozinhada a comida é mantida a 5ºC, etc,etc....

Moral: Não interessa a qualidade dos alimentos desde que haja um bom refrigerador.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Curiosidades II

O Beijo!

Sabe que o beijo envolve exercicio muscular, bacterias, hipertensão?

Para beijar, o ser humano movimenta 29 músculos (12 dos lábios e 17 da lingua). Um beijo apaixonado pode significar a aplicação de uma pressão de 12 quilos sobre os lábios.
Um beijo pode passar 250 vírus e bactérias diferentes.
Quando se beija alguém, resíduos de sua saliva permanecem em sua boca por 3 dias.
As batidas do coração sobem, em média, de 70 para 150 vezes por minuto durante o beijo. Isso força o coração a bombear 1 litro de sangue a mais, pois as células pedem mais oxigénio para trabalhar.

Pois é, mas não deixe de beijar, beijar é bom. E é Natal faça exercio, acelere o coração dê muitos beijos e esqueça as bacterias.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Felicidades

Quem dera que podesemos guardar o espirito de Natal
em jarros e abrir um a cada mês do ano.

(Harlan Miller)

Há um ditado que diz:
"Cada vez que um homem ri, aumenta alguns dias de sua vida"
Que 2011 tenha muito mais que 365 dias.

Faça o favor e ria muito.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Publicidade à letra III

Está a Worten em promoção, prometendo bons preços mas só aqueles que foram anjinhos este ano (até tem um júri de selecção).

Entra o diabinho vestido a rigor (com seu tridente e capacete de viking) numa das lojas worten e manda um berro:
- Posso comprar nesta loja, quero levar tudo o que estiver em promoção, este ano resolvi fazer uma boa acção.

Os funcionários ao ouvir um cliente a querer comprar a loja em peso, nem olharam a meios para atingir os fins, toca todos de roda do cliente a bajulá-lo e a impingir-lhe artigos.

Depois do diabinho ter realmente comprado a loja em peso, e pagar. Quando vai a sair há um funcionário da loja que tinha ficado curioso, e pergunta-lhe: Ó Sr. diabinho diga-me por favor qual a boa acção que o Sr. quer fazer este ano?

Diabinho - Já fiz! Foi comprar tudo isto. Ou a worten pensa que há boas acções suficientes para terem boas vendas.
Alem de provar mais uma vez, que a publicidade nem sempre é o que mostra ser, pois como provado acabam por vender a todos.

Moral da história: Não precisa se esforçar para ser anjinho, pode ir á mesma comprar na worten.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Resposta a É o Quê? I

Pois é apenas a minha Patusca, uma miniatura de cadela.

video

Foi connosco este ano para o Algarve, foi a 1ª viagem dela.

Ela é uma fera vejam:

video

Tirando estas brincadeiras é bastante dócil, não é refilona (o que é característico dos cães pequenos).

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Publicidade á letra II

Num anúncio do MacDonald´s
Vemos um garoto (7-9 anos) a tentar convidar uma menina para sair:
Ele: Queres ir Pescar?
Ela: Não!
Ele: Queres ir jogar bola?
Ela: Não!
Ele: Queres ir andar de skate?
Ela: Desaparece!
Ele chega a casa triste e desanimado, e o pai diz-lhe… Tens de ter uma ideia melhor!
Então ele volta a tocar e campainha e diz: Queres ir…
E vê-se os dois no MacDonald`s com 2 Happy meal.

Moral Da história: Desde pequenino se aprende. Que se não tiveres dinheiro não consegues levar uma garota a sair.

Passadeiras para peões

Hoje venho falar das passadeiras para peões.

Há cada vez mais atropelamentos dentro das passadeiras, e é verdade que se tem feito alguns esforços para reduzir esse tipo de sinistralidade.

- Como fazer lombas antes, (que só arrebentam com os carros mesmo a passar por elas a 20km).

- Passadeiras elevadas, (que se passar por ela um carro baixo roça com o fundo).

- Tem-se tentado cada vez mais, de educar/sensibilizar os condutores, (e esquecido de educar os peões).

No entanto é fácil criticar, difícil é fazer bem, mas todos nós podemos contribuir não só com o nosso comportamento como condutores, como peões, mas também se nos surgir ideias de como melhor tentar divulga-las até chegar à Pessoa Certa para as concretizar.

Foi esse motivo que me levou a criar este tema: Chegar à Pessoa Certa.
A ideia que eu tive já a alguns anos e que gostava de ver feita, É: Iluminação das Passadeiras pela parte de cima, Ou seja colocar dois focos estrategicamente um de cada lado, a fim de iluminar bem o local da passadeira.
Pois de noite em muitos locais não se consegue ver nem as passadeiras nem os peões.

Dou-vos o exemplo de uma passadeira onde a minha filha (na altura com 4 anos) e eu ia-mos sendo atropelados, e não posso de maneira alguma culpar o condutor que até não vinha muito depressa pois teve tempo de parar (deviando-se um pouco para fora de mão) apesar de só nos ter visto em cima do acontecimento.

Falo da passadeira que existe em Alverca frente da paragem de autocarros ao pé de onde se faz a feira semanal (é só um exemplo entre outros), apesar de toda gente saber desta passadeira até mesmo pela paragem de autocarros. O certo é que é uma zona que no sentido Norte/Sul há sempre fila de carros , e quando anoitece quem vem no sentido contrário apesar de saberem da existência da passadeira, com as luzes dos carros parados na fila oposta deixa completamente de ver quem sai por entre os carros.
Por isso acho que não infalivel mas uma boa solução seria colocar Focos a Iluminar as Passadeiras.

No entanto deixo aqui um alerta a todos os condutores que à noite, quando notarem que há uma passadeiras reduzam a velocidade (ou até parando) mesmo que não vejam peões.

Alertas também aos peões (que tem muita culpa no cartório), Pois tenho presenciado muitos (principalmente jovens) que indo no passeio perpendicular á estrada mal chegam á passadeira nem param, voltam-se e começam a atravessá-la. Não só devem parar, para que o condutor se aperceba da travessia, como tentar analizar a velocidade dos carros que se aproximam, pois por vezes atravessa-se a passadeira ao ver um carro a 10m, e esquecemos que ele apesar de nos ver pode não conseguir parar.

Outras situações é atravessarem a estrada com pontes pedonais ao lado. (Depois acusa-se quem de poder de não fazerem pontes, mas quando as há, ninguém as usa)

Outra situação nas passadeiras que penso que devia ser alterada, é de se marcar passadeiras mesmo junto ás curvas em cruzamentos e em rotundas, os peões não "enjeitam " se atravessarem 20m ao lado, e os condutores tem mais tempo de os avistar. (lembremo-nos que em muitos carros há um ângulo na diagonal em que perdemos a visão de quem está de fora).

Vou terminar, não esperava me alongar tanto, Espero que A Pessoa Certa faça alguma coisa a respeito.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

É o Quê? I

O que é isto?
Um furão... Uma toupeira... Um super rato?

Resposta

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Resposta Curiosidades I

Sunis sensor RTS
Abre o toldo automaticamente quando há sol.
Pode accionar toldos planos, cortinas enroláveis, estores, persianas enroláveis, etc.
Alimentação por célula foto voltaica.
Discreto e compacto para uma melhor integração na fachada.

Publicidade á Letra

Oi! hoje vou abrir um tema sobre publicidade, ou seja a publicidade vista á letra.
Pois já á bastante tempo que quando vejo publicidade na TV (que é 60% da nossa programação), dou por mim a alterar os reclamos.
Umas vezes tornando-os absurdos ou exagerados, alguns até mesmo cómicos. (Até gostava de contribuir para um programa tipo Gatos Fedorentos a Gozar ou Comentar sobre Publicidade).
Já existe na TV programas cómicos sobre a publicidade (alguns vídeos até se encontram na Net) mas isso é o próprio reclamo que é cómico. Eu pretendo de um reclamo normalíssimo tirar um significado levado mesmo á letra que o possa tornar tipo um Humor Inglês (Onde a graça é não ter graça).
Ou até mesmo na maioria dos casos, mostrar que eles são completamente contrários ao que anunciam. Vou começar com o exemplo do "Cillit Bang".
1º Anúncio: Usa um produto para vidros, outro para mosaico, outro para fogão, outro para o forno, outro para torneiras, outro para banheira, outro para azulejos, outro etc. etc.? Tem os armários cheios de produtos? POIS deite tudo fora! ( E vê-se o actor a deitar vários produtos para o lixo) e continua: Chegou "Cillit Bang" Poderoso basta ter um só produto que limpa tudo, ((como mostra no filme com uma só passagem limpa gordura (que nem a cozinha de um restaurante com 1 mês por limpar conseguia juntar tanta) deixando a brilhar os azulejos e o fogão. Nota: Brilhar.))

Á Letra: Pois é quem foi na conversa e deitou todos os outros produtos fora para ter mais espaço nos armários (penso que seria este um argumento de peso do novo produto) Enganou-se! Pois um tempo depois chega novo reclamo...

2º Anúncio: Agora "Cillit Bang" Vidros. Cillit Bang Forno, Cillit Bang Wc, etc. etc...

Á Letra: Então?????? E o Primeiro!!!!! Não dava para Tudo?????
Pois é o produto que até limpava moedas!!!!
Atenção quem anda por aí a fazer lavagem de dinheiro não use este produto, ainda é apanhado pela policia. (rsrsrsrs)

domingo, 5 de dezembro de 2010

Confissões

Oi! Se visitou este blogue mais que uma vez, provavelmente foi por engano. (rsrsrs)

E se o fez por outro motivo qualquer, deparou-se com um blogue quase inátivo.

Pois é pode parecer frase feita, mas a questão é mesmo falta de tempo, Qundo tenho um tempinho livre a cabeça tá tão fora que não sei mesmo do que falar. "Para dizer a verdade perdi mesmo o fio á meada". ou seja o motivo ou os assuntos pelos quais criei este blogue.

Mas vou fazer uma retrospectiva aqui em voz alta:.

1º porquê o nome do Blogue? Bem, confesso que pensei um pouco na publicidade! Mas não só, foi tambem para tornar o blogue facilmente encontrado, pois tanto o titulo como o endereço são palavras bastante pesquisadas.

Mas o motivo principal foi para exteriorizar o que me ia passando pela cabeça ou pelos sentimentos (no fundo o dia a dia).

Se teve oportunidade de dar uma vista de olhos por todos os posts, reparou que comecei por falar de passeios, livros, piadas, musicas, alguns assuntos de pesquisas. Entretando os assuntos foram morrendo, pois é! falamos do que a cabeça tá cheia, e já á algum tempo que não leio um livro ou dou um passeio.
Claro que tambem falava de trabalho, e tenho continuado a trabalhar (felizmente tenho tido bastante trabalho), mas não quero chegar e postar só imagem de trabalho, Não quero tornar o blogue comercial, para isso basta os atalhos que tenho ao meu site.

Resumindo, alem da falta de tempo, quando arranjo 15 minutos sinto-me vazio sem assunto.

No entanto vou tentar voltar a dar vida a este blogue. Assim sendo acenda-mos uma vela...
"É melhor acender uma vela do que amaldiçoar a escuridão"

sábado, 30 de outubro de 2010

Filosofias de Vida

Há várias escolas de pensamento antigo, defendendo que a nossa felicidade depende muito daquilo que se passa na nossa mente. As nossas insatisfações e medos são causa de infelicidade, e isso está muito ligado aos nossos pensamentos e à nossa atitude positiva ou negativa face à vida. Séneca – e os filósofos estóicos em geral – é um dos grandes expoentes deste pensamento.

- Tudo passa pelos nossos pensamentos. (…) Um homem é tão infeliz quanto o seu convencimento de que o é.
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

- Não é feliz aquele que assim pensa.
Autor antigo, citado por Séneca em Epístolas a Lucílio

- Que interessa, no fim de contas, a alta posição que tens na vida, se tu próprio não gostas dela?
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

DESPREOCUPAÇÃO EM RELAÇÃO AO FUTURO, VIVENDO O PRESENTE

Para muitos escritores e filósofos antigos, o sentido da vida obtém-se na felicidade, e esta ganha-se vivendo placidamente o presente e minimizando ou ignorando os possíveis males futuros.


- A vida do louco é vazia de gratidão e cheia de medos, toda ela construída sobre os fantasmas do futuro.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, Carta a Meneceu

- Os nossos infortúnios são curados pela grato reconhecimento do que de bom nos acontece e pelo reconhecimento de que é impossível desfazer o que está feito.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, The Extant Remains

- Deixa cair as tuas interrogações sobre o que o amanhã te pode trazer, e considera como um lucro cada dia que o Destino te dá.
Horácio, 65-8 d. C., poeta romano, Odes

- Não te preocupes com o dia de amanhã, porque o amanhã trará consigo o que é seu. Bem basta os problemas que cada dia traz no seu regaço.
Bíblia, S. Mateus

- Pensar no que está muito para lá de nós, em vez de nos adaptarmos ao presente, é fonte de medo. A nossa consciência - a maior das bênçãos dadas à humanidade – é também a nossa maldição.
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

- Para quê remexer em sofrimentos passados, e tornarmo-nos infelizes hoje porque fomos ontem? (…) Quando os sarilhos e os problemas terminam, o natural é que fiquemos alegres.
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

- Os animais selvagens fogem do perigo que os envolve, e mal lhes escapam não mais se preocupam. Nós, porém, atormentamo-nos por aquilo que é passado e pelo que há-de vir. E assim aquilo que é uma bênção magoa-nos, pois que a memória traz de novo a agonia do medo, e a previsão antecipa-o. Ninguém confina a sua infelicidade ao presente.
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

- Há duas coisas – a recuperação dos problemas do passado e o medo dos problemas futuros – que deveriam ser eliminadas das nossas vidas: a primeira porque não nos diz mais respeito, e a segundo porque ainda o não diz.
Séneca, 4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio

- Aqueles que fruem a ocasião e o momento e vivem de acordo com o curso da natureza, não são afectados pela tristeza ou pela alegria. É o que os antigos chamam libertação da sujeição.
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoísmo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu

DESPREOCUPAÇÃO E DESAPEGO EM RELAÇÃO ÀS PREOCUPAÇÕES MATERIAIS

Várias filosofias antigas, e nomeadamente a filosofia oriental, postulam o desapego em relação às riquezas materiais e às preocupações que daí derivam.


- Todo o homem que pensa que é insuficiente o que tem, é um homem infeliz ainda que seja o dono do mundo inteiro.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, citado por Séneca em Epístolas a Lucílio.

- Os que estão ligados às coisas materiais não podem libertar-se a si próprios.
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoísmo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu

- Ao nos vergamos aos nossos desejos materiais - um carro novo, ou uma casa nova, por exemplo -, aumentamo-los em intensidade e multiplicamos o seu número. Desejamos mais e ficamos cada vez menos satisfeitos, cada vez mais incapazes de satisfazê-los.
Dalai Lama, líder político e espiritual tibetano, Voices from the Heart

- Por isso vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, e com o que haveis de comer e beber; ou com o vosso corpo, e o que haveis de vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que as roupas.
Bíblia, S. Mateus

- Olhai as aves do céu: elas não semeiam ou recolhem bens em celeiros, e no entanto o Pai celeste alimenta-as. Não sois vós mais importantes que elas?
Bíblia, S. Mateus

- Qual de vós, é capaz de acrescentar uma simples hora à vida pelo facto de se preocupar com ela?
Bíblia, S. Mateus

- Por que vos preocupais com a roupa? Vede como os lírios do campo crescem, eles que não trabalham nem fiam. Mais vos digo: nem Salomão em toda a sua magnificência se vestiu melhor que eles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo que hoje existe para logo amanhã ser queimada pelo fogo, como não fará ele mais por vós, homens de pouca fé.
Bíblia, S. Mateus

- Não vos preocupeis dizendo: "Que hei-de eu comer?"' "Que hei-de eu beber?" Ou "O que hei-de eu vestir"? Os pagãos correm atrás dessas coisas, porém o vosso Pai Celeste sabe de tudo isso, e das vossas necessidades. Procurai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e tudo o mais vos será dado por acréscimo..
Bíblia, S. Mateus

POBREZA, IGUALDADE, SOLIDARIEDADE E VIDA MONÁSTICA

Numa tradição que passa por religiosos místicos como São Francisco de Assis, certas filosofias religiosas advogam o voto de pobreza, a igualdade e a vida monástica


Ordem de Santo Agostinho
1
Antes de tudo o mais, queridos irmãos, amai Deus e depois o teu vizinho, porque assim está escrito que seja.
2
O principal propósito para a vossa adesão à nossa casa é viver harmoniosamente, em unidade de mente e coração com Deus.
3
Não chames a nada teu, mas que tudo seja nosso em comunhão. Comida e roupa serão distribuídas a cada um pelo vosso superior, não igualmente por todos, porque nem todos gozam da mesma saúde, mas sim de acordo com as necessidades de cada um.

O PRAZER DÁ SENTIDO À VIDA
Filosofias de vida e sentido da vida

Epicuro, um filósofo grego do século III-IV a.C, defendeu uma filosofia de vida centrada em prazeres moderados. Alguns séculos mais tarde, os cristãos atacariam violentamente essa filosofia. Só no século XVII surge um grande autor cristão – Benedito Espinosa – a defender o direito humano ao prazer.


- O prazer é o princípio e o fim do viver feliz. Ele é o bem primeiro e inato, e é baseado nele que devemos concretizar as nossas escolhas e as nossas aversões.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego; Carta a Meneceu

- Não sei conceber o bem, se suprimo os prazeres que se apercebem com o gosto, e se suprimo os do amor, os do ouvido e os do canto, ou se coloco de lado as emoções agradáveis que as belas formas causam à vista.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, Fragmentos

- Não são os convites e as festas contínuas, nem a posse de crianças e mulheres, nem de peixes nem de todas as outras coisas que podem oferecer uma sumptuosa mesa, que fazem doce a vida, mas sim o sóbrio raciocínio que busca as causas das nossas preferências e repulsas, e que afugenta as opiniões que levam a que a perturbação se apodere dos espíritos.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, Carta a Meneceu

- Apenas a nossa selvagem e triste superstição pode proibir os nossos prazeres. Por que é que há-de ser mais digno satisfazer a nossa fome e a nossa sede do que livrarmo-nos da nossa melancolia?
B. Espinosa, 1632-1677, filósofo holandês, The Ethics

- Tirar o máximo prazer das coisas que usamos - sem chegarmos ao ponto de delas desgostarmos, já que tal não significaria prazer -, eis a postura do homem sábio.
B. Espinosa, 1632-1677, filósofo holandês, The Ethics

CONTROLO DAS PAIXÕES, DESEJOS, OPINIÕES E IDEAIS NEGATIVAS

Os antigos filósofos gregos e romanos da escola estóica foram os grandes defensores do princípio de que a felicidade está na sabedoria que controla paixões, desejos, opiniões, ideias.


- As perturbações derivam de opiniões e juízos insensatos.
Cícero, 106-43 a. C., filósofo e político romano, De Finibus bonorum et malorum

- É feliz o sábio que com moderação e firmeza está tranquilo e em harmonia consigo mesmo, não se consumindo com os males, futilidades e entusiasmos, nem se enervando por medo, nem ardendo de desejos e de cobiça.
Cícero, 106-43 a. C., filósofo e político romano, Tusculan disputation

- A maior das vitórias é a vitória sobre nós mesmos.
Pali Tripitaka, colecção budista de textos sagrados, Dhammapada
Devemos controlar os nossos infortúnios pela agradecida constatação do lado positivo das coisas e pelo reconhecimento de que impossível desfazer o que está feito.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, The Extant Remains

Lucrécio, 98-55 a.C, poeta e filósofo romano, De rerum natura
A felicidade não é um ideal da razão mas sim da imaginação.
E. Kant, 1724-1804, filósofo alemão, Fundamental Principles of the
Metaphysics of Ethics

SENTIDO DA VIDA E CONTROLO DAS PAIXÕES E DOS DESEJOS DO CORPO

Os antigos filósofos estóicos foram defensores mais destacados do princípio de que devemos controlar os desejos do corpo e das paixões como forma de nos libertarmos. Mas não só: filósofos como Sócrates e as filosofias orientais também advogam este princípio.


- Reduzindo ao máximo os meus desejos, estou mais próximo dos deuses.
Sócrates, 470-399 a.C., filósofo grego, citado por Diógenes Laércio em Lives of Eminent Philosophers.

- É ilusão alimentar cem cessar os desejos da nossa alma ingrata, cobrindo-a de bens sem nunca a poder saciar.
Lucrécio, 98-55 a.C, poeta e filósofo romano, De rerum natura

- Não é o corpo que é insaciável. O desejo ilimitado que nos condena ao supérfluo, à insatisfação, à infelicidade, é uma doença da imaginação.
A. Compte-Sponville, filósofo francês, Pequeno Tratado das Grandes Virtudes

A ELIMINAÇÃO DO SOFRIMENTO PELO DESAPEGO EMOCIONAL

Várias filosofias de vida orientais – correntes budistas, taoistas e hinduístas - defendem o desapego emocional e a negação de sentimentos como via de evitar o sofrimento. Certas correntes defendem formas de existências quase vegetativas, como forma de evitar a dor.


- O nosso sofrimento é proporcional à nossa ligação às coisas deste mundo.
Thomas Mann, 1875-1955, escritor alemão, The Confessions of Félix Krull
Aquele que procura a felicidade, deve extirpar de si a flecha da aflição, do desejo, do desespero.
Pali Tripitaka, colecção budista de textos sagrados, Sutta-Nipata

- O homem sábio deve recusar a cólera, o orgulho, a decepção, a inveja, o amor, o ódio, a desilusão, a concepção, o nascimento, a morte, o inferno, a existência animal, e a dor.
Jaina Sutras, Acaranba Sutra, textos religiosos indianos do século VI a. C., e depois

- A mente do homem perfeito é como um espelho. Ele não distorce a sua resposta às coisas. Ele responde às coisas mas não penetra na sua existência. Deste modo ele pode lidar com essas coisas sem se magoar.
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoísmo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu

- Não queiras ser famoso. Não queiras ser um armazém de regras. Não queiras apreender a função das coisas. Não queiras ser o mestre do conhecimento que manipula. Procura compreender o mais algo degrau das coisas, viajando a um nível em que não há sinais, exercitando plenamente o que recebeste da natureza, negando tudo o que há de pessoal e subjectivo em ti. Numa palavra: procura o vácuo sem ideias.
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoismo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu

sábado, 17 de abril de 2010